A APOSTASIA DOS RELIGIOSOS DO TEMPO DE JESUS

Por Marco Elias



Os estudiosos da palavra de Deus deparam-se com certos textos bíblicos que parecem entrar em conflito com outras partes da Bíblia Sagrada, mas tudo não passa de uma questão de simples entendimento do contexto cultural, do tempo e do modo como o texto foi escrito. A Bíblia não se contradiz.

Há aqueles que afirmam que quando o homem decide tácita e deliberadamente abandonar ao Senhor e a sua benção, tal homem não tem direito a regresso. Mas será que é isto que este texto bíblico está dizendo? Usa-se como base para esta afirmação o texto de Hebreus 6:4-8. Mas certa vez vi um cristão em sua simplicidade questionando um ministro do evangelho pois o filho pródigo cometeu o mesmo abandono descrito em Hebreus 6:4-8 e arrependido retornou para casa.  


O texto de Hebreus 6:4-8 (apostasia dos hebreus) parece entrar em conflito direto com o texto de Lucas 15:11-32 (parábola do filho pródigo).

Alguns afirmam que o filho pródigo representa aquele que ainda não alcançou o conhecimento total e completo do projeto de Deus e age em atitude de rebeldia e assim ele pode voltar à casa do pai e ser salvo. O texto de Hebreus (segundo afirmam) faria referencia a pessoas que alcançaram e vislumbraram todo o projeto de Deus e o abandonaram tácita e deliberadamente, entrando em um estado de completa apostasia. Algumas denominações ainda aplicam este texto de Hebreus 6:4-8 a pastores e líderes que deixam o ministério da sua denominação e vão para outras denominações.

Como a Bíblia não se contradiz e nós sabemos que o filho pródigo vislumbrava toda a glória da presença do pai, sendo também herdeiro de tudo, não podemos contradizer o texto bíblico com nossos erros e suposições piedosas. A Bíblia Sagrada proíbe terminantemente a falsificação do seu conteúdo, todavia ela continua sofrendo mais nas mãos dos homens que pertencem a Deus do que nas mãos dos impios. A.W Tozer um pregador americano da primeira metade do século XX disse que a heresia reside entre os santos (confira aqui). Ele estava absolutamente correto.


Tendo em vista o problema aqui apresentado, o presente artigo comentará o sentido original do texto, aplicando-o aos destinatários originais da sua mensagem.  


Primeiro precisa-se reafirmar que a Bíblia nos fala da possibilidade de apostasia de todo e qualquer cristão, entretanto existem outros textos que definem isto muito bem. O texto de Hebreus 6:4-8, refere-se a uma categoria particular de pessoas, isto é, os judeus que rejeitaram a Cristo. A religião deles era de Deus. A lei era de Deus. O templo era de Deus, mas eles não reconheceram o messias enviado por Deus. Não se pode permitir a utilização de um texto bíblico para explicar sentimentos ou doutrinas voltadas para o coronelismo de homens bem intencionados. Não se discute aqui se são servos de Deus ou não, discute-se que não se pode pisotear a palavra de Deus, para cumprir interesses e sentimentos de grupos religiosos, pois a palavra é superior aos dons espirituais que só existem porque ela garante isto e serve para nortear os padrões de comportamento do povo de Deus. A Bíblia Sagrada é a carta magna da vida cristã e é infinitamente superior ao conjunto de estatutos das denominações.

4 Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se fizeram participantes do Espírito Santo, 5 E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro, 6 E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério. 7 Porque a terra que embebe a chuva, que muitas vezes cai sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus; 8 Mas a que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada” -Hebreus 6:4-8

O primeiro objetivo do autor era em seu contexto imediato chamar a atenção dos hebreus para os últimos acontecimentos relacionados ao ministério de Cristo e sua obra redentora. A carta entrou no cânon bíblico e o seu conteúdo ganhou novas dimensões, para além da proposta original do autor. Assim a carta contem verdades universais sobre o reino de Deus, mas também contém muitas particularidades relacionadas exclusivamente aos hebreus que haviam presenciado o ministério de Cristo.

Os “AQUELES” ou "OS QUE" referidos no texto são os que estiveram sob uma chuva de graça nos tempos da encarnação e peregrinação do Filho de Deus. São todos aqueles que viveram nos tempos de Cristo e que, mesmo diante de tudo o que viram, ouviram e experimentaram, ainda assim negaram o santo de Deus. Como diz em outro lugar: “De quanto mais severo juízo julgais vós será considerado AQUELE que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o ESPÍRITO DA GRAÇA” (Hb 10:29).

A Bíblia explica a própria bíblia e Deus tem um compromisso com ela.

"FORAM ILUMINADOS" ► Foram iluminados pela luz do mundo. “O povo, que estava assentado em trevas, viu uma grande luz; aos que estavam assentados na região e sombra da morte, a luz raiou” - Mateus 4:16

"PROVARAM O DOM CELESTIAL" ► Jesus é o presente de Deus para todos os homens - todavia os israelitas (a quem a carta fora endereçada) o rejeitaram. Quantos milagres Jesus operou entre os judeus? Provaram e experimentaram a presença de Cristo com toda a virtude celestial.

“Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas; Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles” - Hebreus 1:1-4

“E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor” - Lucas 2:9-11

"Porque a Graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a TODOS os homens" (Tt.2:11).

"Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a Graça de Deus, e o dom pela Graça, que é dum só Homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos...por só um ato de Justiça veio a Graça sobre TODOS os homens para justificação de vida" (Rm 5:15,18).

"e toda a carne verá a salvação de Deus" (Lc.3:6).

"E SE FIZERAM PARTICIPANTES DO ESPÍRITO SANTO" ► O próprio contexto da carta aos Hebreus nos esclarece isto no versículo 9 do primeiro capítulo, ao falar da unção do Espirito Santo que estava sobre Cristo e que proporcionou grandes sinais e prodígios entre os hebreus:

“Amaste a justiça e odiaste a iniquidade; por isso Deus, o teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros” – Hebreus 1:9

“O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração, a pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor” - Lucas 4:18,19

"E PROVARAM A BOA PALAVRA DE DEUS" “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho” - Hebreus 1:1

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. E não há criatura alguma encoberta diante dele; antes todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar. Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão” - Hebreus 4:12-14

Nota-se que o autor aos Hebreus nos dá a entender que está falando com pessoas que conhecem a ação viva da palavra de Deus sobre o seu povo e ainda menciona a subida recente de Cristo aos céus.

"PROVARAM... AS VIRTUDES DO SÉCULO FUTURO" ►
“Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” - Mateus 4:17

Desde então, Deus manifestou-se em Israel e cumpriu-se o que foi dito pelo profeta Isaias: “O Senhor desnudou o seu santo braço perante os olhos de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus” - Isaías 52:10

“E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados; E, saindo dos sepulcros, depois da ressurreição dele, entraram na cidade santa, e apareceram a muitos” - Mateus 27:51-53.

“Mas, bem-aventurados os vossos olhos, porque veem, e os vossos ouvidos, porque ouvem. Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram” - Mateus 13:16,17

A FONTE QUE EMBEBEDA A TERRA

A terra (coração), porém, que absorveu a chuva da graça de Deus, produzindo fruto de arrependimento, essa recebeu a bênção de Deus (Hb 6:7). Estes são os “vós outros”, acerca de quem afirmou o autor: “quanto a vós outros, todavia, ó amados, estamos persuadidos das coisas que são melhores e pertencentes à salvação...” (Hb 6:9). “Aqueles”, porém, são impossíveis de serem conduzidos ao arrependimento (Hb 6:4).

Nos versículos 6 e 7 os dois tipos de terra foram embebidos pela água da fonte que é Cristo, mas os resultados apresentados por cada tipo de terra foram totalmente diferentes entre si.

Jesus é a fonte das aguas vivas que tem molhado o coração seco e desértico do homem. Nenhuma denominação cristã tem o poder para substituir a fonte e derramar água abundante sobre a terra ao ponto de embebe-la. Somente a fonte das águas vivas (Cristo) poderá executar esta tarefa. O problema dos cristãos do nosso tempo é que o orgulho denominacional supera o amor a Cristo e então chegam à conclusão que a fonte vertedora de água é a própria denominação deles. Por isto Deus permite certos escândalos e infortúnios para esclarecer que a glória é de Cristo e não de uma denominação religiosa. “Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus”. Quem pensa que a glória é da igreja (denominação) e não de Cristo é na verdade um tremendo idólatra.

Pode-se notar pelo contexto da narrativa que quando a carta aos Hebreus foi escrita Jerusalém estava intacta e o templo com seus riquíssimos tesouros ainda estavam de pé, todavia no ano 70, a cidade foi cercada, invadida e queimada pelo exercito romano e o templo destruído, cumprindo-se o versículo 8 do texto em análise.

Mas a (TERRA) que produz espinhos e abrolhos, é reprovada, e perto está da maldição; o seu fim é ser queimada”. Hebreus 6:8 (parêntese nosso). Cumpriu-se também as profecias de Cristo ao fato que Jerusalém ficaria deserta e o templo seria destruído, todavia Cristo não mencionou que um exercito atearia fogo na cidade, mas o texto acima citado menciona que a terra seria queimada.


O arco do triunfo de Tito - monumento dedicado à vitória dos romanos na queda de Jerusalém- É impossível visualizar o arco e não ver o cumprimento das profecias, tanto aquelas proferidas por Cristo, quanto aquela da carta aos Hebreus. 

Relevo no arco de Tito mostrando os instrumentos retirados do templo pelos romanos. Note o castiçal sobre os ombros dos romanos. 

Uma igreja fiel não foge da regra: “Em parte conhecemos e em parte profetizamos”!

Glória ao Pai, Glória ao Filho e Glória ao Espirito Santo!

Por Josenilson Félix



Gálatas 2:1-2 “... E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho que prego entre os gentios...”.

Introdução:

O apostolo Paulo faz menção de um tempo em que o mesmo estivera ausente de Jerusalém, quando diz que: “depois, passados catorze anos...”. Era um tempo que havia transcorrido, passado. Entretanto, Paulo também menciona neste versículo lido um momento especial por se trata da sua ida agora a Jerusalém e que a sua ida a Jerusalém se dera em função de uma revelação, que o mesmo não tardou em atendê-la. Podemos, a partir deste relato feito por Paulo acerca daquilo que fora a sua experiência, e ressaltamos que esta não fora uma experiência solitária, mas dela participaram Barnabé e Tito; traçar alguns paralelos com a experiência da Igreja Fiel.

Desenvolvimento:

Depois, passados catorze anos – O tempo é um dos elementos que mais afligem os homens, visto que para muitos, esse tempo representa um período de incertezas quanto ao amanhã. Todavia, o tempo pode ser também um elemento bastante salutar para exercitarmos a paciência, a temperança e reiteramos a nossa confiança em relação às promessas de Deus acerca das nossas vidas.

Subi a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito – A ênfase é de corpo. A experiência de salvação é individual, porém o projeto de Deus contempla a Igreja Fiel de Jesus como um corpo, onde todos aqueles que estão ligados a este corpo vivo, serão arrebatados. Com isso, aprendemos que a nossa caminhada se robustece quando andamos na comunhão do corpo, não é um caminhar solitário ou individualista. Todos seriam importantes naquela viagem a Jerusalém: Barnabé, Tito. Os sentimentos que nutriam os seus corações eram os mesmos, o que os moveu, também foi à mesma coisa, ou seja, a revelação do Senhor.

Subi – A caminhada que o Senhor tem proposto para a sua Igreja Fiel é uma caminhada de fé que visa o seu arrebatamento, ou seja, a Igreja será tirada deste mundo e subirá para encontrar-se com o seu amado Senhor e Salvador nas nuvens. Conhecemos o caminho que é Jesus, que é o caminho de vida. Ex: Provérbios 15:24 “para o entendido, o caminho da vida leva para cima, para que se desvie do inferno que é embaixo”.
Jerusalém – As mansões celestiais. A Igreja Fiel é conhecedora que há uma eternidade preparada para ela. Um lugar de paz, de gozo; onde tão somente os remidos pelo poder do sangue de Jesus hão de entrar nela e viverão para todo o sempre.

Por uma revelação – Paulo afirma que a sua ida e daqueles que com ele estava a Jerusalém se dera em função de uma revelação que eles procuraram atender e por em prática em suas vidas, ou seja, foi à revelação que o impulsionou a subi para Jerusalém. A Igreja Fiel é impulsionada pela revelação do Espírito Santo. Andando na direção apontada pela revelação e não pela razão humana. A subida de Paulo a Jerusalém, não ocorreu por que alguém o constrangeu, ou porque simplesmente deu na cabeça dele que aquele momento era o momento, mas porque a revelação do Senhor moveu a sua alma, a revelação moveu a sua fé, moveu o seu coração para tal. A revelação do Espírito Santo é o que nos move, ela é a garantia de que estaremos na eternidade.

Expus o que prego entre os gentios - Paulo tinha um propósito bem claro quanto a sua subida a Jerusalém, que era expor o evangelho, anunciar e propagar tudo aquilo que era do Reino, as boas novas que fora colocadas em seu coração seriam externadas por ele aos gentios. A Igreja Fiel também tem um propósito que é chegar a eternidade e lá externar o seu louvor, a sua glorificação ao Senhor Jesus. Visto que o amor dele (Jesus) foi derramado em seu coração.

Portanto, a Igreja Fiel está vivendo um tempo neste mundo, mas sabendo que aqui não é o seu lugar. É na verdade um tempo de espera, de grande expectativa, pois o seu arrebatamento se aproxima, ou seja, a Igreja irá subi para a Jerusalém celestial. Há uma expectativa quanto ao cumprimento da profecia, a revelação é o esteio que a conduzirá, o Espírito Santo tem se incumbido de preparar- lá.

Conclusão:

O tempo está passando; você quer subi para a eternidade? Quer morar na Jerusalém Celestial? Entre no caminho e atenda a revelação do Espírito Santo, pois, somente a revelação pode conduzir o homem à eternidade em meio a um mundo de trevas. Paulo diz que subiu a Jerusalém, mas subiu em função da revelação, foi à revelação que o impulsionou, foi à revelação que o conduziu a Jerusalém, da mesma forma é a revelação que levará a Igreja Fiel de Jesus a estar com ele na eternidade.


Diácono: Josenilson Félix
A pessoa de Cristo (1) A.W. Tozer (3) aborto (1) Abraão (2) adventismo (2) adversário (1) Ágape (1) Agostinho (2) águas (1) Albânia (1) Além da Letra (2) alforria (1) aliança (1) Amor (1) Anjos (1) Antigo testamento (1) Antonio Gilberto (2) apocalipse (3) apologética (2) apostasia (2) arminianismo (5) Arrebatamento (2) arrependimento (1) Àsia (1) Ásia Central (1) Assembléia de Deus (2) Auschwitz (1) autoridade (1) Auxílio ao Obreiro (1) avião (1) batatas (1) Batismo com Espirito Santo (2) batismo com Espírito Santo (1) batismo infantil (1) batismo no Espirito Santo (1) BBC (1) bebida alcoólica (2) Ben Gurion (1) Bençãos (1) besta (1) bíblia sagrada (2) Bíblia x Ciência (1) Biblicamente (2) bibliologia (1) Billy Graham (1) Blog Belverede (1) bois (1) brecha (1) Brenda B. Colijn (1) Bruno Rocha (1) calvário (1) CALVINISMO (24) calvinistas (1) Calvino (4) cananeus (1) carpinteiro (1) carta (1) carta de Judas (1) casamento (1) Castellion (1) certo (1) cerveja (1) cessacionismo (4) Ciro Zibordi (12) clamor (1) Claudionor de Andrade (2) colheita (1) comportamento (5) confraria pentecostal (1) Conhecimento (1) continuismo (1) conversão (1) convite (2) Corpo de Cristo (1) CPAD (1) cristãos (1) cristianismo (3) cruz (1) Daladier Lima (3) Dan Corner (1) Daniel Santos (30) Dave Hunt (2) Davi (1) David Botelho (5) David Cloud (1) Deus Conosco (1) devocional (6) diaconisas (1) diálogo (1) dizimo (1) dízimo (2) domingo (1) Dons Espirituais (13) Douglas Batista (1) Doutrina Pentecostal (1) Doxologia (1) eleição (3) Elias (1) Elisabeth I (1) Eliseu Antonio Gomes (1) Eliseu Gomes (2) enganador (1) ensino (1) equívocos religiosos (2) errado (1) erudição (1) escórias (1) escravatura (4) Esmirna (2) eternidade (1) ética cristã (1) EUA (1) evangelho (5) evangelicalismo (1) evangelismo (1) exegese (1) Experiência (1) expressões idiomáticas (1) família (4) família Cristã (3) fariseus (1) (2) felicidade (1) Festa da dedicação (1) ficção (1) filmes (1) filosofia (4) fim (1) Flip Benham (1) fonte (2) fortalecimento (1) fundidor (1) Gálatas (1) graça (4) grupo de estudos (1) Gunnar Vingren (1) Habacuc (1) Hebreus (1) herege (1) heresia (4) heresias (2) Hernandes Lopes (2) história (3) história eclesiástica (3) igreja (4) igreja brasileira (3) Igreja Fiel (4) igreja primitiva (1) Imael Brito (1) imperialismo (1) Inglaterra (1) Institutas (1) interpretação (3) investigação (4) Isaías (2) Islamismo (1) Israel (3) Jerusalém (1) João Cruzué (1) John Wesley (1) Josenilson Félix (8) Jourdon Anderson (1) jugo desigual (1) juízo (1) Julgamento (2) Keith Coward (1) Kelem Gaspar (1) leitura (1) leões (1) liberalismo teológico (1) linguagem cristã (1) Línguas estranhas (4) livramento (1) livre-arbítrio (11) livro da vida (1) Luciano Subirá (2) Lutero (4) maçã (1) madrugada (2) Marcelo Lyrio (3) Marco Elias (37) marxismo (1) matrimônio (1) Max Lucado (1) Melquisedeque (2) Menno Simons (1) milagre (2) ministério (2) ministério feminino (2) missionários (1) missões (10) missões transculturais (1) mitos (1) Moisés (1) morte de Cristo (2) mulher (1) mulheres (2) Mundanismo (2) muro (1) Natal (2) nazismo (1) Nietzsche (1) noiva (1) Norman Geisler (2) Noruega (1) novo testamento (2) Obreiro Aprovado (1) Oração (5) Oriente Médio (1) ovelha (1) Palavra (3) palavra revelada (5) palha (1) pão (1) parlamento (1) pastor (1) pastores (1) Paulo Junior (1) paz (1) Pecado (2) pedobatismo (1) peixe (1) pentecostais (2) Pentecostalismo (3) perdão (1) perseguição (1) perseguições (1) personagens (1) piedade (1) pobre (1) prata (1) Predestinação (7) pregação expositiva (2) pregadores (1) Pródigo (1) Profecia (5) profecias (1) Promessas (1) questionamentos (5) razão (1) razão humana (2) recenseamento (1) Reforma Protestante (5) refugiados (1) Relacionamento (1) religião (1) religiosidade (1) remédio (1) renovados (1) repreensão (1) retórica (1) revelação (7) rico (1) sábado (2) sabedoria (1) sacerdote (1) sacrifício de Jesus (2) salmos (2) Salvação (12) Samoa (1) Sandro L. Oliveira (1) sangue de Jesus (2) santidade (1) Santificação (1) satélite (1) século XX (1) Século XXI (1) serpente (1) Silas Daniel (1) simplicidade (1) sinais do fim (1) soberania de Deus (2) Sofia Müller (1) sola scriptura (1) soldado (1) soteriologia (5) Spurgeon (3) Susanna Wesley (1) Teologia (11) Teologia Pentecostal (1) terrorismo (1) terroristas (2) testemunho (1) Tiago Rosas (4) titanic (1) Tony Sousa (2) trigo (1) Vale (1) verdade (1) Versículos Bíblicos (1) vida (1) vida cristã (12) vídeo (1) vídeos (1) vinha (2) vinho (1) whatsapp (1)